Suzano x GTA

O FSC Brasil recebeu em maio de 2011, uma denúncia do Grupo de Trabalho Amazônico (GTA) sobre a operação da Suzano Papel e Celulose S/A no Maranhão. O GTA apresentava preocupações com relação à conduta da empresa, principalmente relacionada ao Princípio 6 – Impactos Ambientais e descumprimento de acordos assinados com a comunidade em áreas fora do escopo da certificação da empresa.

O FSC Brasil registrou a denúncia apresentada e encaminhou para apreciação do Comitê de Resolução de Conflitos (CRC). Em dezembro de 2013, a equipe do FSC Brasil foi ao Maranhão e conversou com as comunidades objeto da denúncia. Após registro das principais informações levantadas em relatório, o mesmo foi enviado para conhecimento das partes, contendo como sugestão de encaminhamento a condução do processo de mediação. 

Através de email enviado em 1° de março de 2014, o GTA manifestou explicitamente não concordar com a sugestão do FSC Brasil de encaminhar o presente caso à mediação, “a Rede GTA tentou diretamente com a direção da empresa, sem sucesso. O Fórum Amazônia Sustentável tentou de todas as maneiras e o resultado também foi negativo” e solicita que “o Comitê de Resolução de Conflitos encaminhe imediatamente este caso para o FSC Internacional”.

A parte denunciada, Suzano S.A., em carta datada de 11 de abril de 2014, solicitou revisões no conteúdo do relatório, procedidas em parte, após análise de sua pertinência pelo Comitê de Resolução de Conflitos do FSC Brasil. Com relação à sugestão de encaminhamentos via mediação, a empresa, apesar de manifestar “não se opor à mediação”, afirma que: “a empresa entende que esta metodologia não irá auxiliar na resolução desse caso, podendo até mesmo prejudicar tal resolução”.

Considerando o exposto acima, o Comitê de Resolução de Conflitos aprovou o encerramento do caso, no escopo do sistema de Resolução de Conflitos do FSC Brasil, pela imprescindibilidade do pleno aceite das partes no processo de mediação, visando um resultado positivo para todos.

O FSC Brasil enviou uma comunicação de encerramento do caso às partes interessadas e os principais documentos para a gerência de resolução de conflitos do FSC Internacional. A Sysflor/SCS, certificadora da Organização no Maranhão,  também foi informada sobre os encaminhamentos do caso, mesmo estando a área objeto da denúncia, fora do escopo da certificação da empresa no Estado. 

Como próximos passos, o Sistema de Resolução de Conflitos do FSC Internacional (FSC IC) apresenta duas possibilidades: uma de denúncia da empresa via Gerência de Resolução de Conflitos da Unidade de Garantia da Qualidade do FSC IC, no âmbito da Política de Associação, e outra de denúncia da certificadora responsável pela certificação das áreas da empresa no estado, via Accreditation Services International (ASI).

Agradecemos todos os esforços empreendidos a fim de assegurar e aumentar continuamente a credibilidade do sistema FSC.


© Forest Stewardship Council® · FSC® F000204